Você está aqui: Página Inicial / Blogs / Carta nas Eleições / Debate no Paraná tem dezesseis pedidos de resposta

Política

Eleições 2014

Debate no Paraná tem dezesseis pedidos de resposta

por Redação — publicado 28/08/2014 21h38, última modificação 29/08/2014 00h26
Beto Richa, Gleisi Hoffmann e Roberto Requião se sentiram ofendidos por falas dos adversários. Treze pedidos foram feitos em três blocos do programa
Divulgação
paranamontagem.jpg

Os candidato Roberto Requião, Beto Richa e Gleisi Hoffmann

O debate entre os candidatos ao governo do Paraná na Rede Bandeirantes nesta quinta-feira 28 teve um grande número de pedidos de resposta entre os candidatos. Os candidatos pediram 16 vezes uma nova fala ao se sentirem ofendidos pela afirmação de concorrentes. A Bandeirantes aceitou quatro destes pedidos durante o encontro dos candidatos.

No primeiro bloco do debate, foram feitos cinco pedidos pelos três candidatos mais bem colocados nas pesquisas. O governador Beto Richa (PSDB), a ex-ministra da Casa Civil Gleisi Hoffmann (PT) e Roberto Requião (PMDB) e  se sentiram ofendidos por afirmações dos seus adversários. Os três conversaram entre eles nas duas primeiras perguntas do debate e trocaram acusações no encontro organizado pela rede Bandeirantes.

Requião e Gleisi criticaram a administração de Richa no Estado. Gleisi disse que Richa “é um governante de surpresas, parece um kinder ovo”. Requião, por sua vez, disse que Richa, a quem ele se refere como "Carlos Alberto", acorda tarde e é muito preocupado com o cabelo e o marketing. O tucano se defendeu e afirmou que herdou o estado quebrado de Requião, antecessor dele no cargo.

Richa foi o único atendido no primeiro bloco. Ao falar sobre Roberto Requião, o governador disse que "ele é o senador turista, o que mais viaja ao exterior com dinheiro público. Hotéis cinco estrelas, viagens de primeira classe".

Onze outros pedidos foram feitos nos dois blocos seguintes. Um deles foi feito por Gleisi após um diálogo com Requião. A ex-ministra e o senador discutiram sobre os benefícios que cada um ganha do Estado. Gleisi questionou Requião sobre a aposentadoria especial que ele recebe como ex-governador. "O senhor já fez uma campanha eleitoral batendo em um candidato que recebia aposentadoria especial com governador. Agride as pessoas e muitas vezes perde [processos] por isso," disse Gleisi.

Requião, por sua vez, disse que Gleisi ganhou uma "dinheirama" ao sair da direção da Itaipu Binacional, cargo que ela deixou para disputar o Senado em 2006. Ao sair do cargo, ela recebeu dinheiro como se tivesse sido demitida sem justa causa, recuperando 41 mil reais do FGTS.

O tema mais abordado no debate foram os preços dos pedágios nas estrados do Paraná. Richa defendeu a sua gestão à frente do governo, enquanto todos os outros candidatos, em algum momento, fizeram críticas aos altos preços cobrados nas estradas paranaenses. Diante das críticas, Richa rebateu Requião dizendo que o candidato ao Senado em sua chapa, Marcelo Almeida (PMDB), é "dono da tarifa mais cara de pedágio do país".

A última pesquisa Ibope, divulgada nesta semana, mostra Richa, candidato à reeleição, na liderança com 43% das intenções de voto. Requião tem 26% dos votos e Gleisi, 14%. Além deles, participam do debate: Geonisio Marinho (PRTB), Bernardo Piloto (PSOL), Tulio Bandeira (PTC), Rodrigo Tomazini (PSTU) e Ogier Buchi (PRP).