Você está aqui: Página Inicial / Blogs / Carta nas Eleições / Acusado por 'máfia do lixo' garante Levy em debates

Política

Eleições 2014

Acusado por 'máfia do lixo' garante Levy em debates

por Piero Locatelli — publicado 06/10/2014 17h54, última modificação 07/10/2014 12h08
Eleição de Cícero Almeida como deputado federal obriga emissoras a convidar candidato do PRTB aos encontros nas próximas duas eleições
Divulgação/PRTB

Botão Eleições 2014O PRTB, partido de Levy Fidelix, terá uma cadeira reservada nos debates eleitorais nas próximas duas eleições. Fidelix, presidente do partido, já foi candidato aos cargos de prefeito, governador e presidente oito vezes. Caso o partido mantenha estas indicações, Levy deverá aparecer em todos os encontros de candidatos na disputa pela prefeitura de São Paulo, daqui a dois anos, e para a presidência da República, daqui a quatro.

Nesta eleição, Fidelix foi responsável pelos momentos mais deploráveis dos debates. O candidato comparou homossexuais a pedófilos, disse que eles deveriam ser combatidos e que “aparelho excretor não reproduz”.

A participação nestes debates catapultou a campanha de Fidelix. Em 2010, quando não participou dos encontros, Fidelix obteve 57,9 mil votos. Em 2014, foram 446 mil – um aumento de 671% em 4 anos.

A possibilidade de Fidelix voltar a despejar preconceitos em rede nacional se deve à eleição do ex-prefeito de Maceió Cícero Almeida (PRTB) como deputado federal. Segundo a legislação eleitoral, as emissoras devem convidar os candidatos de todos os partidos com representação na Câmara dos Deputados para os debates.

Apesar de ter ajudado muito seu partido, Cícero não é um militante de longa data do PRTB. Com dificuldade para se filiar a outras legendas, acabou abrigado no partido de Fidelix e tornou-se candidato a deputado federal. Antes do PRTB, foi filiado ao PDT, PTB e PP.

O deputado eleito chegou ao auge da sua popularidade em 2008. Com quase 82% dos votos (319,8 mil) na sua reeleição ao Executivo de Maceió, tornou-se o prefeito mais bem votado proporcionalmente em capitais. Neste ano, porém, foi somente o oitavo deputado mais bem votado do estado, com 64,4 mil votos.

A queda na sua votação se deve, entre outros fatores, a acusações de corrupção durante sua gestão na prefeitura de Maceió. Em 2010, o Ministério Público Estadual de Alagoas denunciou Cícero, e mais quinze pessoas, por atos de improbidade administrativa. Eles são acusados de desviar mais de 200 milhões de reais em contratos ligados à coleta de lixo na capital alagoana.

Desde que o Tribunal de Justiça de Alagoas acatou a denúncia, em 2013, o processo corria na Justiça comum. Com sua eleição, o caso deve ir ao Supremo Tribunal Federal, onde são julgados os casos que envolvem deputados federais. Em sua defesa, Cícero nega todas as fraudes.

Eymael

Quatro vezes candidato, o ‘democrata cristão’ José Maria Eymael (PSDC) também poderá estar presente nos próximos debates. O PSDC elegeu dois deputados federais neste ano: Luiz Carlos Ramos do Chapéu, no Rio de Janeiro, e Aloísio Mendes, no Maranhão.

Seu partido não elegeu deputados federais na última eleição e, por isso, não era obrigatório convidar Eymael para os debates nestas eleições. Somente o debate na TV Aparecida e outras emissoras católicas teve a sua presença.