Você está aqui: Página Inicial / Blogs / Blog do Serapião / Janot indica Arnaldo Hossepian ao CNJ

Política

Judiciário

Janot indica Arnaldo Hossepian ao CNJ

por Fabio Serapião — publicado 18/06/2015 11h56, última modificação 18/06/2015 12h08
O procurador paulista foi o nome escolhido para ocupar a vaga destinada ao Ministérios Públicos estaduais.
Arnaldo Hossepian

Hossepian (dir.) com o procurador-geral de Justiça de São Paulo, Márcio Elias Rosa

Indicado pelos promotores e procuradores paulistas para a vaga no Conselho Nacional de Justiça, o procurador Arnaldo Hossepian foi o escolhido por Janot nesta terça-feira 17 e será o representante dos Ministérios Públicos estaduais no órgão fiscalizador do Judiciário brasileiro. “Acredito ter cumprido o objetivo inicial, de construir um espaço impessoal e propositivo, aberta ao diálogo e fundamentada em uma carreira de 28 anos de Ministério Púbico”, afirmou Hossepian que agora passará por uma sabatina no Senado Federal.  

Integrante do MP estadual há 28 anos, Hossepian exerceu nos últimos três anos o cargo de subprocurador Geral de Justiça de Relações Externas. Antes de torna-se o braço direito do procurador-Geral de Justiça de São Paulo Marcio Elias Rosa, foi promotor, procurador e atuou como secretário adjunto de Segurança Pública no estado. "Sou e sempre serei grato aos que colegas que acolheram as minhas propostas e sei que a liderança da Procuradoria-Geral de Justiça do nosso Estado tem sido fundamental, por isso, reafirmo o desejo de adequadamente representar o Ministério Público brasileiro, renovando todos os compromissos que assumi", completa Hossepian.

Em busca da vaga paulista para pleitear a cadeira no CNJ, Hossepian foi escolhido em fevereiro com votos de 939 integrantes do MP, ou 58% dos votos válidos.  Dentre outras propostas, o procurador focou o aprimoramento dos sistemas de processo digital dos judiciários, a presença efetiva em comissões e defesa de posições que assegurem a posição do MP em programas apresentados pelo CNJ e a necessidade de repactuação da distribuição das custas judiciais de modo a contemplar os MPs com parcelas compatíveis com a dimensão de cada estado.

CURRÍCULO

Arnaldo Hossepian tem 53 anos e integra o Ministério Público de São Paulo desde março de 1987. Graduado em 1983 pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo – Largo São Francisco; especialista em Direito Penal pela mesma instituição de ensino em 1988; mestre em Direito Penal pela PUC-SP, em 2004, professor de Direito Penal da Fundação Armando Álvares Penteado desde abril de 2001. Ingressou no MP de São Paulo como Promotor de Justiça substituto de Avaré. Atuou ainda nas comarcas de Santa Branca, Guarujá, e Osasco. Na Capital, foi Promotor de Justiça criminal do Fórum Central, tendo se removido para a 2ª Promotoria Criminal de Pinheiros em abril de 2006. Promovido ao cargo de Procurador de Justiça em junho de 2009. Foi eleito para o Órgão Especial do Colégio de Procuradores para os biênios 2010-2011 e 2014-2015. Integrou a assessoria do Procurador-Geral de Justiça em três ocasiões (2004 a 2007, 2009 a 2010 e entre abril de 2013 e 28 de janeiro de 2015). Nesse último período foi Subprocurador-Geral de Justiça de Relações Externas. Também foi Secretário-adjunto da Segurança Pública do Estado de São Paulo entre março de 2010 a novembro de 2011